sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Cancro da mama: Mulheres que sobreviveram à doença sobem ao palco para partilhar experiências

Retirado do Blog:http://equemnaotemcao.blogspot.com

25.9.09
Cancro da mama: Mulheres que sobreviveram à doença sobem ao palco para partilhar experiências
Lisboa, Portugal 25/09/2009
11:29 (LUSA)
Temas: Teatro, Saúde, Doenças, Sociedade

Ovar, 25 Set (Lusa) - Mulheres que sobreviveram ao cancro da mama sobem ao palco do Centro de Artes de Ovar, sábado à noite, para partilhar as suas experiências no espectáculo de teatro “Rosa, Esperança”.
A peça aborda os casos reais vividos pelas protagonistas, que, não sendo actrizes profissionais, participam agora na digressão nacional com que a oficina de artistas “Quem não tem cão” se propõe levar a todo o país “numa mensagem de esperança e sobrevivência”.
Rui Germano, autor do texto e encenador de “Rosa, Esperança”, disse hoje à Lusa que “a peça de teatro é parte de um projecto maior, que começou com os encontros de mulheres vítimas de cancro e que agora, graças à blogosfera, se tem revelado um espaço de apoio para essas pessoas”.
O primeiro encontro realizou-se em Fátima, em Junho de 2008, e foram as experiências pessoais aí recolhidas que depois serviram de base à produção de “Rosa, Esperança”.
“Na peça contamos toda a história do cancro, desde que o momento em que se descobre um nódulo ao fazer a palpação do peito, até à fase do pós-operatório e da quimioterapia”, revela Rui Germano.
“Falamos do que uma mulher sente em todo este processo”, acrescenta. “De como se decide ir ao médico, como é que conta ao marido, como é que os familiares e amigos lidam com a doença”.
Para Rui Germano, o que importa assinalar é que “todas as mulheres em palco são sobreviventes”. A peça constitui, por isso, “um projecto de verdade, porque todas as protagonistas tiveram cancro da mama e são um exemplo de sobrevivência”.
A produção de “Rosa, Esperança” envolve cerca de 40 pessoas e conta com a colaboração da actriz Simone de Oliveira, que, como recorda o encenador, “também teve cancro da mama e acabou por associar-se ao projecto como voz-off da peça”.
O espectáculo conta ainda com o apoio de diversos costureiros portugueses, pelo que o guarda-roupa do quadro final é assinado por Augustus, João Rolo, Luis Buchinho, Nuno Gama, Fátima Lopes, Rafael Freitas e Cristina Lopes.
Em Ovar, “Rosa, Esperança” está em cena sábado, às 21:30, sendo os únicos contactos disponíveis para reservas os da Divisão de Cultura da autarquia local: o telefone 256.581.300 e o e-mail caovar@cm-ovar.pt.
O espectáculo segue depois para Faro, a 3 de Outubro, Santiago do Cacém, a 10, Viana do Castelo, a 24, Guimarães, a 31, Benavente, a 7 de Novembro e Leiria, a 5 de Dezembro.
“Não é uma agenda muito cheia”, admite Rui Germano, “mas é complicado gerir a disponibilidade das protagonistas, porque nenhuma delas é actriz profissional e todas têm a sua vida própria, fora disto”.

AYC

1 comentário:

Natália disse...

Olá Lina
Desejo muito sucesso para as nossas meninas
Dizes que não são actrizes profissionais,talvez seja por isso que são tão boas,porque elas passaram por tudo isto, sabem como é lidar com a dor, com o medo,com a ansiedade com as tristezas.Mas também com as ALEGRIAS e sabem como nos ajudar e dizer a palavra certa quando tanto precisamos dela.

Decerteza que mesmo uma boa actriz estudando bem o texto não o conseguiria fazer tão bem como elas,porque elas viveram-no dentro delas e VENCERAM.

Por tudo isto muitas felicidades meninas.

beijinhos para ti Lina e para todas as amigas