quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Uma em cinco mulheres que toma Herceptin® pode não ter feito teste genético

Uma em cinco mulheres que toma Herceptin® pode não ter feito teste genético
Um teste genético, utilizado para determinar se os doentes com cancro da mama devem receber o Herceptin® da Roche, não é muitas vezes realizado, segundo um relatório avançado pela agência Bloomberg.

Dois terços das mulheres com cancro da mama invasivo não têm documentação de ter realizado o teste ao gene HER2, de acordo com o relatório publicado no jornal Cancer.

Além disso, é indicado que um em cada cinco testes ao HER2 realizado por laboratórios locais são imprecisos quando comparados com os resultados do mesmo tecido em laboratórios maiores.

As células do tecido mamário saudáveis contêm duas cópias do gene HER2. Cerca de 20% das mulheres com cancro da mama invasivo têm várias cópias do gene. Estes tumores chamam-se HER2 positivo e são tumores mais agressivos e difíceis de tratar. Todos os doentes com cancro da mama invasivo devem realizar este teste genético.

Uma das investigadoras do Memorial Sloan-Kettering Cancer Center e autora do estudo afirma que a revisão sugere que há falhas consistentes em relação ao uso do Herceptin® e o teste ao HER2.

Os autores do estudo ressalvam que o fármaco é altamente eficaz em 20 a 30% dos doentes com sobre expressão do gene HER2. Nestes casos, a toma do fármaco pode reduzir o risco de morte. Mas quem não tem esta característica e toma o medicamento tem “um risco desnecessário de paragem cardíaca”.

Uma em cada cinco mulheres que toma Herceptin® não tinha provas de ter realizado o teste, segundo registos de seguro de saúde.“É possível que tenham realizado um teste com resultado positivo, mas não tenha sido documentado”, afirma a investigadora.

Os autores do estudo recomendam que o teste seja standard, de forma a salvaguardar que é realmente realizado. Também pode ajudar haver mais informação sobre as tecnologias usadas nos testes, acrescentam.

O Herceptin® foi aprovado nos EUA em 1998. A Roche procura actualmente aprovação do fármaco para o cancro do estômago fora dos EUA.

Além deste, existe o Tykerb® da GlaxoSmithKline para tratamento do cancro da mama HER2 positivo, que foi aprovado em 2007 para este uso, e alguns médicos recomendam certas quimioterapias.

Fonte: POP - Portal de Oncologia Português

____
Julgo ter feito este teste, pois estive à espera de um resultado e só depois é que comecei este tratamento.
Mas é uma boa questão para perguntar ao oncologista.
O coração foi sempre vigiado, e tem estado sempre bem. Consegui fazer o tratamento durante um ano, sem que o coração tivesse manifestado alguma alteração, de qualquer modo não se pode descurar a máquina e continuar a vigiar


Retirei do Blog da Isa de Beja
http://umaluznaescuridao.blogs.sapo.pt/187096.html


Obrigado Isa Beijinhos

4 comentários:

maguie disse...

Ola Lina

é uma boa informação, na proxima consulta vou falar sobre este assunto com a minha oncologista e com o meu Cardiologista

beijinhos
..

Lina Querubim disse...

Olá Maguie
foi a Isa de Beja que colocou no blog dela hoje. Eu também sabia que era tóxico para o coração mas sinceramente não me recordo se fiz algum teste ao coração sem ser o ARNE.
Informa-te
Beijinhos

Isa disse...

olá Lina, um beijinho
Temos que estar atentas e ajudar os medicos a cuidar de nós.

Lina Querubim disse...

Olá Isa parece que sim que temos mesmo que estar atentas.
Beijinhos