terça-feira, 2 de junho de 2009

Boa Noite - Recados Para Orkut
Hoje foi dia de consulta de Oncologia no IPO as análises estavam óptimas :) e fiz o Herceptin que também correu bem! :)))
Beijinhos a todos



versiculos - Recados Para Orkut

8 comentários:

rosa pereira disse...

Graças a Deus que tudo está bem contigo, desejo que continua bem por muitos e longos anos junto do teu Kim.

Beijinhos

Visitante disse...

Boa!

Assim mesmo é que é!!!!

Beijinho, Lina
Visitante

mari-lou disse...

Olá amiga é muito bom quando tudo está bem.

Fiquei contente.

Beijinhos.

Zezinha disse...

Ola amiga..ontem tentei comentar mas nao conseguia..mas hoje ja estou cá.. sima miga ando saturada de doenças e acaba um começa outro.. sei lá mas acredita k nao é facil..o meu marido tb nao queria.. mas derreteu-se com ele..agora é assumir a responsabilidade de o criar em bem..com amor.. muito amor..tb ja tinha mtas saudades.. e nesta altura do campeonato esta-me a fazer muito bem..fikei mto feliz por tudo ter corrido bem contigo..mil bjos doces

IsaLenca disse...

Logicamante que está tudo bem contigo!
Ontem não te apanhei na net...foste passear? Fizeste muito bem!
Bjs "Criança- princesa" de Alverca!

Lina Querubim disse...

Olá a todos obrigado pelas palavras ihihihi é bom sentirmo-nos rodeados de Amigos :)))

Beijinhos para todos e continuação de um boa semana ;)

Isalenca miga, ontem cheguei tarde a casa e estava cá o meu Mano Vitor desde domingo foi-se embora hoje e só vim á net já deviam ser 23h e tal.

Ana Paula disse...

Fico feliz por estar tudo bem consigo.
Desculpe a ignorância mas que tratamento é o Herceptin? Nunca ouvi falar...
Beijinhos virtuais

Lina Querubim disse...

Olá Ana Paula boa noite
o Herceptin é um tratamento que vou fazer durante 1 ano na sala da quimio é dado por envedosa e é de 3em semanas.
É um tratemento recente deve ter pouco mais de 3 anos.
Exige acompanhamento de control do coração porque é um dos efeitos secundários :O nem tudo são rosas :) deixo aqui esplicado o que encontrei num site, talvez fiques mais esclarecida ;) beijokas




O medicamento conhecido como Herceptin pode reduzir em até um terço o número de mortes por câncer de mama, caso seja administrado em pacientes que tenham sido submetidas previamente à intervenção cirúrgica e à quimioterapia, segundo estudo publicado na revista médica "The Lancet".

O trabalho comparou os resultados obtidos com 1.703 mulheres que foram submetidas ao remédio durante um ou dois anos, após terem feito os tratamentos contra o câncer de mama, com os de outras 1.698 pacientes que fizeram o mesmo procedimento inicial, mas não receberam o Herceptin.

Uma equipe de pesquisadores acompanhou as mulheres por dois anos. Ao final do período, 59 mulheres do primeiro grupo haviam morrido, enquanto 90 do segundo faleceram, o que equivale a uma redução de 34% no índice de mortalidade.

Em termos absolutos, 92,4% das mulheres tratadas com Herceptin continuavam vivas dois anos após o término do tratamento, contra 89,7% das que não foram submetidas ao medicamento.
No entanto, foram verificados casos de hipertensão em 12 mulheres do primeiro grupo, enquanto que no segundo o número foi de apenas 5 pacientes. Também foram registradas ocorrências de parada cardíaca, depressão e febre, entre outros efeitos colaterais, nas mulheres submetidas ao Herceptin.

Segundo Ian Smith, do Royal Marsden Hospital, que dirigiu a equipe de pesquisa, os resultados do estudo indicam que o Herceptin contribui de modo significativo para a sobrevivência das mulheres que foram submetidas à quimioterapia após terem sido diagnosticadas com câncer de mama em estágio inicial.

O Herceptin é um remédio caro. No Reino Unido, o custo anual do medicamento por paciente equivale a 30 mil libras, porém os benefícios comprovados fizeram com que o Governo aprovasse o tratamento.

Em entrevistas ao "Lancet", três pesquisadores da Universidade de Sheffield que analisaram o estudo por encomenda do Governo afirmam que os benefícios são reais e que os danos cardíacos devidos ao Herceptin podem ser evitados.

"Ao longo do período de dois anos analisados, o risco de dano cardíaco parece insignificante em comparação com o risco de reprodução do câncer", segundo os analistas, que disseram também que é preciso esperar para ver os possíveis efeitos do remédio a longo prazo.